Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

>

 

 

Estudo do Movimento segundo a
Metodologia Net-In
Alberto Mesquita Filho
Capítulo 6 - Exercícios

Exercícios do Capítulo 6

 

Exercício 6.1: Exercício de aplicação.

Na figura a seguir tem-se um vetor A situado no plano xy. Os eixos estão equalizados em termos de unidades.

exercício 6.1

Clicando no link abaixo você será encaminhado para um arquivo swf contendo a mesma figura e também um transferidor e um medidor de distâncias (método dos dois cliques). Com estes artifícios: 1) Meça o ângulo a e o módulo do vetor A e determine as componentes vetoriais Ax e Ay. 2) A seguir meça Ax e Ay e calcule o módulo do vetor A e o ângulo a. Em cada caso estime as incertezas e, ao final, compare os resultados.

Cuidado: Ao arrastar o transferidor com o mouse é antes dado um clique. Se logo a seguir você for utilizar o método dos dois cliques, despreze a primeira medida (aquela que aparece quando for dado mais um clique).

Em dúvida sobre estimativa ou propagação de incertezas, releia a ajuda do exercício 1.1 do capítulo 1. Clique aqui para rever a tabela de propagação de incertezas.

Para resolver o exercício 6.1 clique aqui

Exercício 6.2: Colisão entre discos não idênticos.

Clique no link abaixo para visualizar o movimento de dois discos. 1) Determine as velocidades dos discos verde e cinza, antes e após a colisão, na unidade pixel por unidade de tempo. Considerar como unidade de tempo o intervalo entre cinco imagens consecutivas. Dar a resposta em termos das componentes vx e vy. Anote os resultados para utilizá-los no próximo exercício. 2) Copie a última imagem do vídeo para a área de transferência (Alt+PrtScn) e cole-a no Paint. A partir desta imagem construa os vetores soma v1i + v2i e v1f + v2f. Compare o resultado obtido com aquele que seria esperado encontrar para discos idênticos (vide item 6.2).

Para resolver o exercício 6.2 clique aqui

Exercício 6.3: Com os resultados do exercício anterior calcule a variação do vetor velocidade (ou o vetor Dv) para os dois discos e o ângulo que esses dois vetores formam com o eixo das abscissas. Na sua opinião: 1) Poderíamos pensar nesses dois ângulos como suplementares e, neste caso, com os Dv paralelos (mesma direção e sentidos opostos)? 2) Esta consideração estaria dentro das incertezas previstas?

Exercício 6.4: 1) Supondo o paralelismo entre os dois vetores Dv do exercício anterior (ângulos suplementares), determine o fator de conversão m de um vetor no outro, ou seja: Dv1 = - mDv2. 2) Verifique no Paint este paralelismo e faça uma estimativa visual para m. Compare essa estimativa com o valor encontrado em (1).

Resolução conjunta dos
exercícios 6.2 a 6.4

O cálculo das incertezas é
deixado a critério do leitor.
[*]

Exercício 6.5: O link abaixo corresponde ao vídeo da simulação do movimento de dois corpos isolados do restante do universo e que se repelem. Determine graficamente m12 (recurso Alt+PrtScn ® Paint). A seguir verifique graficamente (também no Paint) que os pontos da trajetória apresentados em zoom na figura em anexo estão de acordo com a equação 6.7: vm1 + m12vm2 = K = vetor constante.

Para observar o vídeo clique aqui

Figura em anexo: clique aqui
(os pontos vermelhos e pretos correspondem a mesmos
instantes, na ordem assinalada ® flechas)

Exercício 6.6: O link abaixo corresponde ao vídeo da simulação do movimento de dois corpos isolados do restante do universo e que se atraem. Determine graficamente m12 e verifique graficamente que os pontos da trajetória apresentados em zoom na figura em anexo estão de acordo com a equação 6.7.

Para observar o vídeo clique aqui

Figura em anexo: clique aqui

Resolução dos
Exercícios 6.5 e 6.6

 

Para continuar lendo este artigo clique abaixo em Capítulo 7.

 

[*] Como este é um exercício simulado e não uma foto estroboscópica, existe um desvio entre o que está sendo apresentado e a realidade. Este erro é cometido durante a confecção do software, quando procuramos imitar a natureza como ela é. Desconsidere este possível erro (bem pequeno, por sinal), pois o que interessa é que você se acostume com os erros como eles acontecem com fatos reais e não com fatos simulados (a menos que você venha a ser um crítico dos métodos utilizados).